O valor de uma pessoa

sábado, 15 de agosto de 2009
Bom dia, pessoas.
Como vão?
Ultimamente ando sumida, né? Aliás, sempre ando sumida, posto sazonalmente, mas vocês me adoram mesmo assim, né? hihi.

Vim aqui hoje pra falar sobre um assunto que debati com vários amiguinhos nessas últimas duas semanas: quanto vale uma pessoa?

É engraçado pensar num valor tipo 15 reais, ou alguns euros. O valor que estou falando não é o quanto você pagaria por ela, mas o quanto ela representa em sua vida e o quanto ela representa na vida dela mesma. Complicado, não?! Vou descomplicar um pouco (pelo menos tentar) contando uma historinha.

Alice e Pedro eram amigos. Melhores amigos. Até que um belo dia Alice descobriu que Pedro traiu sua confiança dizendo coisas a respeito dela para outras pessoas que, além de não serem verdadeiras, a ofendiam. Pedro fez com que Alice fosse motivo de piada para todas as pessoas que conheciam em comum.

Ao tentar conversar com Pedro, Alice tomou um susto: ele a tratou como se fossem estranhos. Além de ser frio com ela, Pedro a tratou mal, falando coisas que a fizeram sentir-se desnorteada e confusa, sem entender o porquê de seu melhor amigo ter se tornado aquela pessoa que ela não reconhecia.

Com o tempo, Alice conseguiu perdoar o que Pedro lhe havia feito e foi conversar com ele, para que fossem colegas pelo menos. E para surpresa de Alice, Pedro agiu, mais uma vez, friamente e falou mais coisas que a fizeram enxergar que a pessoa por quem ela sentiu um grande carinho deixou de existir. E agora Pedro era apenas um estranho, com lembranças mais estranhas ainda.

É difícil você deparar com pessoas que são tudo pra você num dia e no outro já podem ser consideradas absolutamente nada. Quanto mais você pensa que conhece alguém, mais você vê que não conhece é nada. Nem nós que convivemos conosco a vida toda nos conhecemos plenamente, quem dirá os outros!

A lição que Alice aprendeu foi: Por mais que você goste de alguém, que este alguém seja importante em sua vida, nunca esqueça seu valor - o quanto você vale no mundo e representa na vida das pessoas que demonstram se importar com você de verdade, mas principalmente, o amor próprio. Não permita que ninguém te maltrate, por mais que você seja bom o suficiente para perdoar depois. O perdão é para os bons, o mal não. As pessoas só nos fazem mal porquê permitimos isso. Deixamos que elas entrem em nossas vidas, nos conquistem e nos maltratem depois. O primeiro passo para parar de chorar pitangas por quem não merece é excluir essa raça da sua vida.

Você, querido leitor, assim como a Alice, eu e todo mundo ("canta junto"), merecemos tudo que é bom e para recebermos isso cultivamos o bem. Só que infelizmente não nos ensinam na escola que somos raridade. O mundo é cruel, meus jovens! Não estamos livres de pessoas que possam vir a nos fazer mal, mas podemos selecionar aquelas que já nos fizeram mal e eliminá-las de nossos contatos sociais e todos os outros.

Queira perto de você apenas o que lhe faz bem. O resto... abstrai. Um dia voltarão de joelhos e você vai poder ver como ser bom não é tão ruim quanto parece no momento.

Beijos!

5 comentários:

  1. adocica disse...:

    Como já disse várias vezes: nunca se conhece alguém por inteiro e as pessoas sempre nos surpreendem. Nem sempre do modo que queremos, infelizmente.

    O negócio é saber lidar com o que as pessoas fazem conosco e tentar diminuir a forma com que isso nos afeta :~

  1. Aline Leal disse...:

    Andei absitraindo algumas pessoas que me fizeram mal e foi um alívio, mas sempre aparecem outros...
    Mas tb é preciso aprender a dar valor as pessoas q estão sempre com vc, além de dar valor a si mesmo. É isso q eu tenho buscado fazer na minha vida td!

    Me avisa qnd tiver mais post Bichinho!
    Te favoritei no meu blog! :B
    beijos!

  1. pollyannadonato disse...:

    Oi, o valor de uma pessoa é infinito!
    Não existe preço que possa pagar!
    Muito perfeito o post que vc escreveu! Eu sou a @PollyannaDonato
    To aqui por indicação da Aline, kk, eu amei seu Blog e tá nos meus favoritos!
    Beijos!

  1. Trox disse...:

    Olá...é a primeira vez que leio seu blog. Estou a criar o meu também...estou fugindo um pouco do universo do Orkut por não entender como as pessoas são e pensam..escolhi os blogs então...Agora, como te encontrei é...um pouco fora do comum..digitei as palavras "otimista e persistente" no google e lá estava você, no the best. Bom, gostei muito do jeito que você escreve e espero ler mais e te conhecer mais, fazer amizade. Tenha uma ótima semana e tudo de bom!! Até mais!

  1. Fern. disse...:

    Pois é, podiam ter ensinado isso pra gente na escola,mas não!Preferem nos passar a ideia de que o mundo é rosa quando está ruim e multi-cor quando bom!
    Será que seria melhor ensinar de cara que o mundo é cinza e a gente tem que batalhar muito pra ele ser no mínimo, sépia?
    Ou seria pessimismo demais?
    Criaríamos pequenos monstrinhos depressivos?
    Psicopatinhas?
    OU pessoas realistas demais?
    Ou seres humanos preparados?
    Chamem uma pedagoga,please!

Postar um comentário